A vida pode ter surgido há mais de 4 bilhões de anos

Os cientistas fizeram uma descoberta que poderia impulsionar o surgimento da vida além do que nunca.

Os achados controversos são baseados em uma análise recente por pesquisadores japoneses de partículas de grafite encontradas em rochas da região de Saglek, no norte de Labrador, no Canadá.

Os resultados do estudo indicam que as rochas, que se pensa datar de mais de 3,95 bilhões de anos, contêm vestígios de organismos primitivos, tornando este o primeiro exemplo conhecido de vida em nosso planeta.

O problema, no entanto, é que isso colocaria o surgimento da vida dentro de um período extremamente violento da história da Terra, durante o qual o planeta estava sendo constantemente bombardeado por asteroides e cometas deixados pela formação do sistema solar.

“Pode ter sido difícil criar vida antes de 3,8 bilhões de anos atrás devido ao bombardeio”, disse o pesquisador sênior Yuji Sano, da Universidade de Tóquio. “Mas agora são 4 bilhões de anos”.

“A vida começou na Terra durante o pesado bombardeio de meteoritos, o que é surpreendente”.

Nem todos estão convencidos de que as descobertas da equipe japonesa estão corretas.

“Independentemente da veracidade da evidência biogênica do grafite, a afirmação de que é a mais antiga exige que a geocronologia seja revista”, disse o cientista Martin Whitehouse.

“Se é mais jovem do que cerca de 3,8 bilhões de anos, já não é muito excitante”.

“Eu diria que não está correto por ter sido encontrado em uma região onde as rochas ígneas têm uma faixa de idades entre 3,9 e 3,7 bilhões de anos”.

Deixe seu comentário!