Qual é a diferença entre órbitas geossíncronas e geoestacionárias?

Há um ponto ideal acima da Terra onde um satélite pode corresponder à mesma rotação da Terra.

Esta posição especial na órbita alta da Terra é conhecida como órbita geossíncrona.


Cerca de 35.786 quilômetros acima da superfície da Terra, os satélites estão em órbita geoestacionária. Do centro da Terra, isso é aproximadamente 42.164 quilômetros. Esta distância o coloca na categoria de órbita terrestre alta.

Em qualquer inclinação, uma órbita geossíncrona se sincroniza com a rotação da Terra. Mais especificamente, o tempo que a Terra leva para girar em seu eixo é de 23 horas, 56 minutos e 4,09 segundos, que é o mesmo que um satélite em órbita geossíncrona.

Se você for um observador no solo, verá o satélite como se estivesse em uma posição fixa, sem movimento.

Isso torna os satélites geossíncronos particularmente úteis para telecomunicações e outras aplicações de sensoriamento remoto.
Embora os satélites geossíncronos possam ter qualquer inclinação, a principal diferença para a órbita geoestacionária é o fato de que eles se encontram no mesmo plano do equador.

As órbitas geoestacionárias se enquadram na mesma categoria das órbitas geossíncronas, mas está estacionado sobre o equador. Esta qualidade especial o torna único em órbitas geossíncronas.

Satélites de monitoramento meteorológico como o GOES estão em órbitas geoestacionárias porque têm uma visão constante da mesma área. Em uma órbita alta da Terra, também é útil para balizas de busca e resgate.

Deixe seu comentário!