Osteoporose – Sintomas e Tratamentos

O que é Osteoporose?

A osteoporose é uma doença metabólica que atinge os ossos e descalcifica progressivamente deixando-os porosos e frágeis.

Ela ocorre em decorrência da diminuição da massa óssea piorando a qualidade e quanto mais frágil se torna o osso, maior é o risco de uma fratura. A osteoporose é mais frequente em pessoas do sexo feminino, embora homens também possam ter a doença, ela se manifesta com maior incidência na velhice.

Com a osteoporose, os ossos passam a se fraturar espontaneamente em atividades comuns do cotidiano, como, por exemplo, o ato de sentar-se com rapidez, que pode levar a uma fratura no quadril. Além das fraturas, ela pode causar encolhimento das vértebras, ossos doloridos, redução de estatura e corcundas.

Os ossos dos seres humanos crescem até os 20 anos. A partir daí, os ossos tendem a aumentar sua densidade até cerca dos 35 anos, e desta forma, se inicia a perda de massa progressiva, ou seja, a osteoporose. Após a menopausa, esse processo acelera.

Causas da Osteoporose

Há diversos motivos que levam a osteoporose a se desenvolver como, a idade avançada, casos hereditários da doença, ser muito magra, massa muscular pouco desenvolvida, baixa ingestão de cálcio, não tomar sol, ter diabetes, tabagismo, consumo de álcool, falta de atividade física entre outros.

No entanto, existem dois padrões distintos de alteração no funcionamento que levam à osteoporose. Um deles é lento e varia de idade como a osteoporose senil, relacionado com defeito na formação óssea. Já o outro que se manifesta com a queda de estrógenos, a menopausa, que produz uma cavidade mais profunda na massa óssea.

Diagnóstico da Doença

Atualmente, o critério para diagnosticar a osteoporose é pela perda de 25% de massa óssea quando comparada com adulto jovem. Já um diagnóstico precoce de osteoporose é feito através da densitometria óssea enquanto o estudo radiológico somente mostra alterações precisas quando há perda de 30% da massa óssea.

Sintomas da Osteoporose

Os sintomas se manifestam de muitas formas, avança lentamente e dificilmente apresenta sintomas precisos para identificá-la. Por exemplo, quando ocorre uma lesão nas vértebras, a dor pode ser de dois tipos. Uma é em um determinado local, aguda, intensa que mantém o paciente imobilizado.

Contudo, a fratura vertebral pode não ser percebida com precisão em exame radiológico, dificultando o diagnóstico. O paciente se mantém em repouso absoluto nos primeiros dias. Mesmo sem tratamento, a dor diminui lentamente e desaparece cerca de duas a seis semanas, dependendo da gravidade da fratura.

Por esta característica silenciosa, ela pode passar completamente despercebida se não forem realizados exames para detectá-la.

Deixe seu comentário!