O crânio humano mais antigo encontrado fora da África

Os cientistas identificaram as primeiras evidências conhecidas de seres humanos modernos fora do continente africano.O crânio, que foi descoberto na caverna de Apidima, na Grécia, na década de 1970, estava tão danificado e incompleto que, na época, os paleontólogos lutavam para entender o sentido.

Mais recentemente, no entanto, um novo estudo usando tomografia moderna e datação por séries de urânio revelou que o crânio não é apenas o de um humano moderno, mas também remonta 210.000 anos a um tempo muito antes que nossos ancestrais tivessem migrado África.A descoberta aumenta o crescente corpo de evidências sugerindo que os humanos modernos fizeram várias incursões na Eurásia muito antes de começarem a colonizar o continente há cerca de 60.000 anos.


Outra evidência disso foi encontrada anteriormente em Israel e na China.

“Agora nosso cenário era que havia um grupo moderno na Grécia há 210.000 anos, talvez relacionado a populações comparáveis ​​no Levante, mas foi posteriormente substituído por uma população neandertal (representada por Apidima 2) há cerca de 170.000 anos”. disse o co-autor do estudo, Chris Stringer, do Museu de História Natural de Londres.

Deixe seu comentário!