Mary Austin, a musa de Freddie Mercury

O papel principal desta mulher foi revivido por Bohemian Rhapsody, o filme que conta a vida do ícone do rock. Eles nunca se casaram, mas ela herdou metade de sua fortuna e estava ao seu lado até o último suspiro, além de ser a única que guarda suas cinzas.

No Natal de 1973, o ano em que a banda britânica lançou seu álbum Queen, Freddie Mercury a pediu casamento sem saber que ela seria seu eterno amor.

Eles estavam juntos há cinco anos quando ele lhe presenteou com uma caixa grande; dentro havia outra caixa, depois outra e assim por diante … era como um jogo lúdico, até chegar à menor caixa.

Lá dentro, Mary Austin, sua namorada, encontrou um lindo anel de jade. Austin perguntou a Mercury que mão ele deveria colocar. Ele respondeu a esquerda e pediu que ela se casasse com ele.

“Fiquei chocada. Simplesmente não era o que eu esperava. Eu apenas sussurrei: ‘Sim, eu quero'”.

Esta história foi contada por Mary Austin para o Daily Mail em 2013; Aconteceu quando ela tinha apenas 23 anos e foi um dos momentos mais marcantes de sua história de amor.

Eles nunca se casaram, mas quando Mercury morreu, ela reconheceu que seu amor eterno se foi, com quem ela sentiu que tinha um casamento.

A vida de Austin ganhou destaque com o filme Bohemian Rhapsody, que revive a vida da poderosa voz britânica.

De acordo com o filme, Freddie a viu pela primeira na mesma noite em que conheceu a banda e ele disse a ela que gostava de sua jaqueta e depois a procurou na loja de moda Biba, onde ela trabalhava, para convidá-la para sair.

No entanto, há uma versão diferente, contada pelo guitarrista e também compositor de Queen, Brian May.

Em várias entrevistas, May disse que costumavam frequentar a loja com Mercury para ver os funcionários “lindos”; mas ele diz que foi ele quem saiu primeiro com Mary Austin, não Mercury.

“Estranhamente, Mary era a garota que eu escolhi, ela era fabulosa, e eu comecei a namorar com ela e Freddie veio até mim um dia e disse: ‘Você tem algo sério com Mary? Posso convidá-la para sair?’ Ele fez isso e eles foram amantes por um longo tempo”, disse May ao Yahoo! Entretenimento em 2017

“A única amiga verdadeira que tive é a Mary. Ela herdará a maior parte da minha fortuna. Qual pessoa melhor para deixar minha herança? Naturalmente, meus pais estão na minha vontade, assim como meus gatos, mas a maioria deles vai para Mary”, disse Mercury em seu testamento.

De alguma coisa não há dúvida: ela era namorada, amiga e o amor eterno do criador da Queen. Em 1992, quando o testamento da estrela foi tornado público, era conhecido que ele deixou Mary sua mansão Garden Lodge, avaliada em 22,5 milhões de euros na época; metade de sua fortuna, inicialmente avaliada em mais de nove milhões de euros, e lucros futuros por direitos autorais.

Jer Bulsara, a mãe de Mercury, deu uma entrevista ao Daily Telegraph onde ele disse que, pelo menos da parte dele, não havia nenhum tipo de ressentimento pela decisão de seu filho.

“Mary era adorável e costumava vir para comer em nossa casa”. “Eu os amaria vê-los casar e ter uma vida normal, com filhos. Mas mesmo quando eles terminaram, eu sabia que ela ainda amava meu filho e eles foram amigos até o fim. Eu não a vejo desde que ele morreu”.

“Ela era como sua família e ainda é”, Jer Bulsara, mãe de Freddie.

A luxuosa mansão de Mercury herdada por Mary em Londres é constantemente cercada por jornalistas. Atrás de suas paredes intransponíveis, Mary manteve por anos um dos segredos mais bem guardados do artista.

Segredo que só foi a público até um dia antes de morrer em 1991. Desde 1987, ele foi diagnosticado com HIV AIDS, uma doença terminal que não tinha cura ou tratamento que pudesse prolongar sua vida.

Até 1968, Mary teve uma vida particular. Seus pais eram pobres e surdos; Ele trabalhou como cortador de mão para especialistas em papel de parede e ela era uma empregada doméstica para uma pequena empresa.

Em sua juventude Austin começou a trabalhar em uma loja de prestígio em Londres, Biba, onde foram como clientes Paul McCartney e Mick Jagger, e onde Mercury mudou radicalmente sua história.

Ele não conseguia esconder sua fascinação por esse músico de “aspecto selvagem”, como ela descreve. “Ele era como ninguém que eu já conheci antes, tinha muita confiança, nós crescemos juntos, eu gostei, e ele continuou a partir daí.”

Em seu primeiro convite, ela fingiu estar ocupada naquela noite; mas Freddie não desistiu e procurou por ela no dia seguinte.

Mercury estava apenas começando sua carreira artística e não tinha muito dinheiro, então eles só faziam coisas normais, sem jantares de luxo ou presentes suntuosos.

No começo, moravam em uma sala na Victoria Road, em Kensington. Depois de dois anos, mudaram-se para um apartamento maior na Holland Road – quando o Queen assinou um contrato recorde e teve seu primeiro grande sucesso, Seven Seas Of Rhye.

O verdadeiro talento de Mercury no palco, Mary descobriu em um show no Ealing College of Art, a antiga escola de arte de Freddie, onde Mary foi eclipsada. Uma estrela estava nascendo.

“Quando ele saiu do palco, todas as garotas e seus amigos se aglomeraram em torno dele”, diz ela.

“Para mim, foi um casamento, acreditamos um no outro, todos os meus amantes me perguntaram por que eles não poderiam substituir Mary, porque é simplesmente impossível”, Freddie Mercury.

Foi nesse segundo movimento, no apartamento na Holland Road, onde ela sentiu que as coisas não estavam indo bem.

Eles estavam juntos há seis anos, a discussão sobre o casamento estava no freezer e ela decidiu discutir o assunto com Mercury. “Algo está acontecendo e eu me sinto como uma corda em volta do seu pescoço, acho que é hora de partir”, disse ele anos depois.

O sucesso da banda naquele momento era incomparável e ele só conseguiu dizer a ela que não havia nada de errado. As apresentações eram frequentes, ele chegava tarde da noite e Austin só podia pensar que ele tinha outra mulher.

Até que em 1976 Mercury decidiu discutir abertamente seus sentimentos com ela.

Este momento foi inesquecível para ela e para a história do rock. Ele confessou que era bissexual, uma condição que ele teve tempo para descobrir. Mary respondeu: “Não Freddie, não acho que você é bissexual. Acho que você é gay.”

Essa revelação acabou com o relacionamento físico que existia entre eles; Austin mudou-se para um apartamento próximo comprado pela gravadora de Mercury, cujo valor era de 30.000 libras.

Era um lugar pequeno, para apenas uma pessoa, e do banheiro você podia ver o apartamento de Mercury. Apesar de terem distanciado esse relacionamento e nunca se separado da banda, há registros fotográficos de sua presença em turnês e concertos até o final dos anos sessenta.

Mary tentou vários relacionamentos depois de viver com Freddie Mercury, mas nenhum teve a empatia que o astro do rock. Ele teve dois filhos com o pintor Piers Cameron, que acabou, como os outros, por sair de sua vida.

A razão para essa separação também seria Mercury, situações em que eles se encontravam e teriam feito o seu novo parceiro se distanciar.

“Freddie tinha aumentado tanto a presença na minha vida. Não havia maneira de sair, nunca mais”, reconheceu Austin.

Quando Mercury morreu, Maria estava ao seu lado, cuidou dele, deixou um vazio que ele lamentou por anos. Demorou muito tempo para ela abrir a porta para um novo relacionamento.

O empresário britânico Nick Holford dividiu a mansão ao seu lado, casou-se com ela em absoluto sigilo, a cerimônia em Long Island e teve os dois filhos de Mary, Richard e Jamie. Mas ele também se divorciou.

O único homem que passou por sua vida foi Mercury. Mary foi a musa que inspirou o Love of My Life e carregava os segredos mais íntimos da artista e hoje guarda os detalhes de sua última vontade.

Antes de morrer, Freddie disse a ela que não queria que ninguém tentasse desenterrá-lo e ela concordou em tirar as cinzas da mansão dois anos depois de sua morte. Hoje ela é a única que sabe onde seus restos foram espalhados.

Deixe seu comentário!