Grafeno poderia revolucionar a energia nuclear

Cientistas em Manchester revelaram que o grafeno pode tornar a produção de água pesada mais eficiente.

Parece não haver escassez de usos para o grafeno, um material maravilha relativamente recente que é até 200 vezes mais forte do que o aço e capaz de conduz a eletricidade melhor que o cobre.

Agora, de acordo com uma nova pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Manchester, o grafeno também poderia ser usado para ajudar a limpar a indústria nuclear.

A chave está em tornar a produção de água pesada até 100 vezes mais eficiente usando membranas de grafeno especiais que poderiam separar partículas subatômicas de forma mais eficaz.

Mesmo que os custos sejam altos no processo, os benefícios superariam significativamente a despesa.

“O tritio descarregado tanto de usinas nucleares quanto como resultado de desastres ambientais é uma grande preocupação global”, disse Andre Geim, professor de física da matéria condensada que em 2010 ganhou um Prêmio Nobel por sua pesquisa em grafeno.

“Acreditamos que esta tecnologia pode transformar economicamente a pegada ambiental de futuras usinas nucleares”.

Deixe seu comentário!