Fugitivo de Alcatraz envia uma carta à polícia

O mistério do que aconteceu com os três homens que escaparam de Alcatraz em 1962 pode finalmente ter sido resolvido.

Localizados na baía de São Francisco e cercados por correntes de maré traiçoeira, as paredes impenetráveis ​​da prisão e as celas bem guardadas eram praticamente impossíveis de escapar.

Isso não impediu os ladrões de bancos, Clarence Anglin, John Anglin e Frank Morris de darem uma chance, no entanto. Em 11 de junho de 1962, os homens realizaram uma das fugas mais audaciosas da história.

Para escapar de suas celas, os homens passaram seis meses cavando minuciosamente um túnel do concreto usando colheres afiadas.

Uma vez que conseguiram chegar à beira da água, os homens formaram uma jangada inflável feita de casacos de chuva e partiram para a água que fluía rapidamente em um esforço para alcançar a segurança.

Seu destino continuaria sendo um mistério por mais de 50 anos.

No entanto, em um grande avanço, uma carta de um indivíduo que afirmou ser o próprio John Anglin surgiu do nada na estação de Richmond do Departamento de Polícia de São Francisco:

“Meu nome é John Anglin. Eu escapei de Alcatraz em junho de 1962 com meu irmão Clarence e Frank Morris. Tenho 83 anos de idade e estou em mau estado. Tenho câncer. Sim, todos nós conseguimos escapar naquela noite, mas mal!”.

O FBI realizou uma análise forense da carta, porém os resultados não foram conclusivos.

“Não há absolutamente nenhuma razão para acreditar que qualquer um deles teria mudado seu estilo de vida e se tornar cidadãos completamente respeitadores da lei após essa fuga”, afirmou o US Marshals Service.

Deixe seu comentário!