Europa se retira de missão anti-asteroide

Uma missão projetada para testar a deflexão de um asteroide grande pode ser cancelada.

Conhecido como AIDA (Desvio de Asteroides e Avaliação de Impacto), a missão consistia em duas partes.

O componente liderado pelos EUA, conhecido como DART (Double Asteroid Redirection Test), foi enviar uma pequena nave espacial para colidir deliberadamente com a lua de um asteróide grande conhecido como Didymos.

A Europa, entretanto, iniciou o AIM (Asteroid Impact Mission), uma sondagem que viajaria para a cena do experimento, onde poderia coletar dados sobre o impacto, como acontece.

No entanto, as autoridades europeias rejeitaram a proposta de 250 milhões de euros para a parte AIM da missão, deixando o futuro de todo o empreendimento em dúvida.

Em vez disso, uma proposta muito mais barata e reduzida da nave espacial foi proposta, uma que ainda poderia potencialmente manter o prazo da NASA se o impacto fosse acontecer como planejado em 2022.

No entanto, as coisas permanecem incertas se uma nova proposta será aprovada.

“Há medidas que o AIM pode fazer que o DART não possa”, disse Andrew Cheng, do Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins.

“Todos nós juntos temos que convencer as delegações nacionais a gastar algum dinheiro para esta missão”.

Deixe seu comentário!