Documentário encontra restos da Challenger de 1986

Uma equipe de documentários em busca de destroços de aeronaves da Segunda Guerra Mundial descobriu recentemente artefatos históricos de uma variedade mais moderna. 

Depois de analisar as imagens, a NASA confirmou os destroços subaquáticos filmados na costa da Flórida são do desastroso voo final do ônibus espacial Challenger, no qual sete pessoas morreram.


Os mergulhadores que trabalhavam no documentário notaram “um grande objeto feito pelo homem coberto parcialmente por areia no fundo do mar”. 

Tinha uma construção moderna, incluindo telhas quadradas de oito polegadas, comumente usadas nos sistemas de proteção térmica dos ônibus espaciais. Isso alertou os membros da tripulação de que os destroços podem estar relacionados à NASA, e eles entraram em contato com a agência espacial, que examinou as imagens e confirmou sua origem. A NASA diz que está considerando quais ações adicionais devem ser tomadas em relação aos destroços.

O trágico voo Challenger decolou em 28 de janeiro de 1986, se desfazendo em apenas 73 segundos de viagem. Todos os seis membros da tripulação e a professora Christa McAuliffe morreram na explosão ou no impacto resultante. McAuliffe foi selecionado entre mais de 11.000 candidatos para o cargo de Professor no Espaço da NASA. 

O lançamento foi transmitido ao vivo pela televisão nacional e é uma tragédia tão infame que muitas pessoas se lembram exatamente onde estavam quando aconteceu.

Além de McAuliffe, a missão tirou a vida do comandante Francis R. “Dick” Scobee; piloto Michael J. Smith; especialistas Ronald E. McNair, Ellison S. Onizuka e Judith A. Resnik; e especialista em carga útil Gregory B. Jarvis. Em 2018, os astronautas da ISScompletou as aulas de ciências McAuliffe havia planejado a viagem.

Uma investigação sobre a explosão revelou que os anéis de vedação nas juntas do segmento do foguete sólido haviam endurecido devido a temperaturas inesperadamente frias na noite anterior. Apesar das preocupações dos engenheiros do fabricante de anéis de vedação Morton Thiokol, a administração da empresa apresentou uma recomendação para o lançamento. A tragédia acabou suspendendo o programa do ônibus espacial por 32 meses e levou à criação do Escritório de Segurança, Confiabilidade e Garantia de Qualidade da agência.

Em Busca do Triângulo das Bermudas , o documentário que revela os destroços, vai ao ar na terça-feira, 22 de novembro, no The History Channel.

O administrador da NASA, Bill Nelson, disse em um comunicado na quinta-feira: “Embora tenham se passado quase 37 anos desde que sete ousados ​​e corajosos exploradores perderam suas vidas a bordo do Challenger, essa tragédia ficará para sempre marcada na memória coletiva de nosso país. Para milhões ao redor do mundo, inclusive eu, 28 de janeiro de 1986, ainda parece que foi ontem. Essa descoberta nos dá a oportunidade de fazer uma pausa mais uma vez, elevar os legados dos sete pioneiros que perdemos e refletir sobre como essa tragédia nos mudou. Na NASA, o valor central da segurança é – e deve permanecer para sempre – nossa principal prioridade, especialmente porque nossas missões exploram mais do cosmos do que nunca.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like