Cientistas descobriram nuvens cheias de ‘picolés’

Os cientistas identificaram um tipo único de formação de gelo que pode ser encontrado a dois quilômetros no ar.

Stavros Keppas e colegas da Escola de Ciência da Terra, Atmosférica e Ambiental fizeram a descoberta durante um recente voo de pesquisa sobre o nordeste do Atlântico.

Eles perceberam que o gelo tinha começado a se formar em uma forma particularmente incomum, que se parecia muito com um picolé com um longo pedaço de gelo ligado a uma cabeça esférica.

“Picolés são o produto da colisão entre uma coluna de gelo e uma gota de água líquida no ar”, disse Keppas.

“As aparas de gelo são criadas a temperaturas entre -3C e -8C na nuvem e congelam instantaneamente qualquer gota de água que elas toquem, criando essas formas incomuns de picolés”.

“Os cristais de gelo crescem em formas distintas e previsíveis, dependendo da temperatura, quantidade de vapor de água e umidade”.

Infelizmente, há poucas chances de colher esses gelos particulares, pois medem apenas um milímetro de comprimento e só podem ser encontradas em alta altitude.

Eles são, no entanto, muito mais comuns do que alguém já havia percebido.

“Os avanços recentes nas técnicas de medição nos permitem ver fenômenos meteorológicos com mais precisão do que nunca”, disse Keppas.

“Agora podemos identificar formações únicas como essas e começar a entender sua complexidade ainda mais”.

picoles.jpg

Deixe seu comentário!