Cérebro humano recupera memórias para trás

Um novo estudo revelou que o cérebro humano realmente funciona ao contrário ao lembrar detalhes de nossas memórias.

A pesquisa, conduzida por pesquisadores do Centro de Saúde do Cérebro Humano da Universidade de Birmingham, envolveu a reconstrução do processo de recuperação da memória usando técnicas especiais de decodificação do cérebro que possibilitam rastrear quando uma memória única está sendo reativada.

Para o estudo, os participantes foram mostrados cada imagens de objetos específicos e foram convidados a associar cada um deles com um único lembrete. Depois de um certo tempo, eles foram apresentados a uma dessas palavras de lembrete e solicitados a reconstruir a imagem com o máximo de detalhes possível.

As descobertas indicaram que, quando o cérebro recupera memórias sobre um objeto específico, ele começa por se concentrar primeiro no significado central desse objeto antes de recordar detalhes mais específicos.

Quando uma pessoa encontra um objeto pela primeira vez, no entanto, o cérebro se concentra inicialmente nos aspectos visuais, como padrões e cores, antes de passar para o significado posteriormente.

“Sabemos que nossas memórias não são réplicas exatas das coisas que experimentamos originalmente”, disse o principal autor do estudo, Juan Linde Domingo. “A memória é um processo reconstrutivo, influenciado pelo conhecimento pessoal e pelas visões de mundo – às vezes até nos lembramos de eventos que nunca aconteceram.”

“Se nossas memórias priorizam informações conceituais, isso também tem consequências sobre como nossas memórias mudam quando as recuperamos repetidamente.”

“Isso sugere que eles se tornarão mais abstratos e essenciais com cada recuperação. Embora nossas memórias pareçam aparecer em nosso ‘olho interno’ como imagens vívidas, elas não são simples instantâneos do passado, mas representações reconstruídas e tendenciosas.”

Deixe seu comentário!