Buraco negro pode ter engolido uma estrela de nêutrons

Os astrofísicos detectaram as ondas gravitacionais produzidas por um buraco negro colidindo com uma estrela de nêutrons.

Originalmente proposto por Albert Einstein como consequência de sua Teoria Geral da Relatividade, ondas gravitacionais são ondulações no tecido do espaço-tempo que transportam energia através do universo.

Analisando as ondas gravitacionais captadas pelos detectores gêmeos Ligo nos EUA e o detector de Virgem na Itália, os cientistas podem aprender muito sobre eventos astronômicos que estão ocorrendo no universo.

Neste caso em particular, os detectores captaram o que se acredita serem as ondas gravitacionais produzidas pela fusão de um buraco negro e uma estrela de nêutrons – um tipo de estrela minúscula e ultra-densa deixada para trás depois que uma estrela particularmente grande explode como um Super Nova.

Se a descoberta puder ser confirmada, as descobertas poderiam nos ensinar muito sobre a física de tais fusões dramáticas, bem como confirmar que buracos negros e estrelas de nêutrons podem coexistir em sistemas binários.

Para este fim, os astrônomos estão agora vasculhando uma determinada região do céu para a luz produzida pela fusão, no entanto, com uma área tão grande para cobrir, está provando que não é tarefa fácil.

“É como ouvir alguém sussurrando uma palavra em um café movimentado, pode ser difícil distinguir a palavra ou até mesmo ter certeza de que a pessoa sussurrou”, disse Patrick Brady, porta-voz de Ligo, sobre as descobertas.

“Vai levar algum tempo para chegar a uma conclusão sobre este candidato.”

Deixe seu comentário!