Astrônomos da ESO descobrem 72 novas galáxias

As novas galáxias remontam 13 bilhões de anos a um tempo pouco depois da formação do universo.

A descoberta foi feita usando o instrumento Multi Unit Spectroscopic Explorer (MUSE) no Very Large Telescope (VLT) do Observatório Europeu do Sul no Chile.

As galáxias estavam situadas em um pedaço de céu previamente investigado pelo Telescópio Espacial Hubble e foram identificadas graças à capacidade da MUSE de fazer observações em uma variedade de comprimentos de onda.

“O MUSE pode fazer algo que o Hubble não pode – ele divide a luz de todos os pontos da imagem em suas cores componentes para criar um espectro”, disse o astrofísico Roland Bacon.

“Isso nos permite medir a distância, cores e outras propriedades de todas as galáxias que podemos ver – incluindo algumas que são invisíveis para o próprio Hubble”.

Deixe seu comentário!