Asteroide que dizimou os dinossauros matou a maioria das espécies de aves

De acordo com um novo estudo, apenas algumas espécies de aves sobreviveram ao ataque de asteroides que acabou com os dinossauros.

Quando um enorme asteróide atingiu o México 66 milhões de anos atrás, o caos que se seguiu foi tão absoluto que é incrível que qualquer coisa tenha conseguido sobreviver.

Juntamente com os dinossauros, outras vítimas deste apocalipse pré-histórico foram algumas das primeiras espécies de aves – especialmente aquelas que se aninhavam nas árvores.

Curiosamente, na verdade eram os pássaros terrestres que de alguma forma conseguiam se segurar.

Agora, de acordo com um novo estudo, essas aves provavelmente sobreviveram porque foram mais capazes de se adaptar às condições que se seguiram ao desastre.

Os pássaros que aninhavam em árvores, por outro lado, foram eliminados porque as próprias árvores desapareceram.

“Olhando para o registro fóssil, em plantas e pássaros, há várias linhas de evidências sugerindo que o dossel da floresta desmoronou”, disse Regan Dunn, do Field Museum, em Chicago.

“Pássaros empoleirados foram extintos porque não havia mais poleiros”.

As poucas espécies terrestres que sobreviveram foram os ancestrais de todas as aves modernas de hoje.

“Hoje, as aves são o grupo mais diversificado e global de animais vertebrados terrestres – existem quase 11.000 espécies vivas”, disse o co-autor do estudo, Daniel Field, da Universidade de Bath.

“Apenas um punhado de linhagens de pássaros ancestrais conseguiu sobreviver ao evento de extinção em massa há 66 milhões de anos, e toda a incrível diversidade de aves atuais pode ser atribuída a esses antigos sobreviventes”.

Deixe seu comentário!