Asteroide da extinção atingiu o ‘pior lugar possível’

Os cientistas estão perfurando uma cratera deixada para trás pelo asteroide que limpou para fora os dinossauros.

As amostras de rochas recuperadas por baixo do Golfo do México revelaram que talvez não fosse tanto o tamanho ou a velocidade do asteroide que condenou os dinossauros, mas o local em que ele atingiu.

Na época, a área estava coberta por um mar raso, o que significa que o impacto enviou enormes quantidades de enxofre para a atmosfera, estendendo o tempo que o planeta ficou preso em um inverno global.

Tragicamente, é possível que os dinossauros pudessem ter sobrevivido se o asteroide tivesse atingido em outro lugar.

“Se o asteroide tivesse atingido um momentos antes ou mais tarde, em vez de bater em águas costeiras rasas, poderia ter atingido o oceano profundo”, disse o apresentador de TV Ben Garrod.

“Um impacto nos oceanos próximos do Atlântico ou do Pacífico significaria uma rocha muito menos vaporizada – incluindo o gesso mortal. A nuvem teria sido menos densa e a luz solar ainda poderia ter atingido a superfície do planeta, o que poderia ter sido evitado”.

“Neste ambiente frio e escuro, os poderosos dinossauros tinham poucas chances de sobrevivência”.

Deixe seu comentário!