Assírios culpam demônio ‘Bennu’ por epilepsia

Foi encontrado um tablet de argila para representar um demônio que os antigos assírios acreditavam ser responsável pelas epilepsias.

Situado no Museu Vorderasiatisches, em Berlim, o tablet de 2.700 anos foi descoberto originalmente na biblioteca de uma família de exorcistas que viviam em Assur, que agora está no norte do Iraque.


O assiriologista Troels Pank Arboll, da Universidade de Copenhague, estava analisando recentemente a pedra quando descobriu um desenho que havia sido esquecido por anos.

Em uma inspeção mais detalhada, parecia ser um demônio com chifres, um rabo e uma língua bifurcada.

Aconteceu que essa figura demoníaca era ‘Bennu’ – um demônio que os assírios acreditavam ser responsável pelos movimentos musculares involuntários associados à epilepsia.

O texto no tablet contém detalhes dos remédios projetados para tratar a doença.

“Fui o primeiro a notar o desenho, apesar de o texto ter sido conhecido pelos pesquisadores há décadas, por isso não é visto com facilidade hoje, a menos que se saiba que ele existe devido aos danos no manuscrito”, disse Arboll à Live Science .

“Este desenho específico é uma representação do demônio real, em vez de outros desenhos comparáveis, que geralmente representam uma estatueta feita durante um ritual para remover a doença”.

Deixe seu comentário!