Tribunal rejeita a alegação de homem de que ele não está morto

Um tribunal romeno rejeitou formalmente a afirmação de Constantin Reliu de que ele está realmente vivo.

Segundo relatos, o homem de 65 anos viajou para a Turquia para trabalhar em 1992, mas perdeu o contato com a família durante esse período, o que levou a ser declarado morto por engano.

Depois de ser preso na Turquia devido a documentos expirados e deportado para a Romênia, Reliu descobriu que, por estar oficialmente morto, o sistema não o reconhecia como um cidadão válido.

Mais tarde, ele levou o caso ao tribunal em uma tentativa de derrubar seu status de ‘falecido’, apenas para descobrir que sua apelação havia sido rejeitada com base no fato de que ele havia realizado o processo de apelação tarde demais.

“Estou oficialmente morto, embora esteja vivo”, disse ele. “Eu não tenho renda e porque estou listado morto, não posso fazer nada.”

Deixe seu comentário!