Traços de sangue encontrados no Sudário de Turim

Uma nova análise da relíquia mundialmente famosa revelou vestígios de sangue de uma vítima de tortura.

O misterioso Sudário de Turim, que muitos acreditam ser de Jesus, tem sido objeto de intenso escrutínio, controvérsia e debate.

Agora, após um completo exame forense do tecido, os pesquisadores da Itália afirmam ter descoberto vestígios de sangue humano dentro de suas fibras.

Não só isso, mas uma análise científica dessas partículas de sangue sugeriu que o indivíduo em questão provavelmente havia sido submetido a um período prolongado de tortura física antes de morrer.

“Portanto, a presença dessas nanopartículas biológicas encontradas durante nossas experiências aponta para uma morte violenta para o homem envolvido no Sudário de Turim”, disse Giulio Fanti, professor da Universidade de Pádua.

A descoberta reavivou o debate sobre as verdadeiras origens e autenticidade do sudário que, há anos, dividiu cientistas e teólogos.

Alguns acreditam que a relíquia seja uma falsificação medieval, enquanto outros estão convencidos de que é genuíno e que remonta a 2.000 anos.

Mas a presença de sangue na mortalha realmente pode dizer que é o verdadeiro tecido de Jesus?

Dado que o sudário foi movido ao longo dos séculos, mesmo que realmente haja o sangue de alguém, não há garantia de que realmente tenha permanecido lá o tempo todo.

Por tudo o que sabemos, o sangue é de um monge ou sacerdote que manipulou a mortalha relativamente recentemente.

Deixe seu comentário!