Trabalhador japonês é punido por iniciar o almoço três minutos mais cedo

O equilíbrio entre vida profissional e familiar foi questionado depois que um funcionário público foi punido por “habitualmente” se afastar de sua mesa alguns minutos antes do horário do almoço.

O homem de 64 anos, funcionário do departamento de água na cidade ocidental de Kobe, foi multado e repreendido depois que ele deixou sua mesa três minutos antes do início de sua pausa para almoço.

Altos funcionários do departamento então convocaram uma coletiva de imprensa televisionada, onde descreveram a conduta do homem como “profundamente lamentável” e se curvaram em desculpas .

Um porta-voz do departamento disse à AFP: “A pausa para o almoço é do meio-dia às 13h. Ele saiu de sua mesa antes do intervalo.

O trabalhador violou uma lei de serviço público que exige que os funcionários “se concentrem em seus empregos”, segundo o departamento.

A mídia local relatou o incidente logo após a constituição de uma lei destinada a tratar das longas e punitivas horas de trabalho do Japão.

No mês passado, a Câmara dos Deputados aprovou uma lei que limita as horas extras em 100 horas por mês em resposta a um aumento no número de empregados que morreram de karoshi, ou morte por excesso de trabalho.

O governo foi forçado a agir após um protesto público pela morte de Matsuri Takahashi, uma funcionária de 24 anos do gigante da publicidade Dentsu, que se suicidou em 2015 depois de ser forçada a trabalhar mais de 100 horas por mês, incluindo finais de semana.

O caso de Takahashi desencadeou chamadas para abordar uma cultura no local de trabalho que muitas vezes força os funcionários a dedicar longas horas para demonstrar sua dedicação.

Deixe seu comentário!