Toninha com duas cabeças capturada no mar do Norte

Descoberto no largo da costa da Holanda, o espécime é o primeiro de seu tipo já encontrado.

Ao invés de um único animal com duas cabeças, o achado é realmente provável que sejam duas toninhas unidas – um caso do que é conhecido como “geminação parcial” ou parafagus dicephalus em seu nome científico completo.

A condição é, de fato, tão rara que, na verdade, é apenas o décimo caso conhecido de gêmeos conjugados em qualquer espécie de cetáceo (um grupo de animais que incluem baleias e golfinhos).

“A anatomia dos cetáceos é surpreendentemente diferente de mamíferos terrestres mas com adaptações para viver no mar como um mamífero”, disse o co-autor do estudo Erwin Kompanje.

“Muito é desconhecido. Adicionando qualquer caso extra aos nove conhecidos espécimes traz mais conhecimento sobre este aspecto”.