Seres humanos se inclinam para a direita enquanto se beijam

Quando se trata de beijar, os seres humanos em todo o mundo inclinam a cabeça para a direita e não para a esquerda, uma descoberta que pode ter implicações mais amplas para a neurociência e as ciências cognitivas.

Pesquisadores de universidades de Bangladesh e da Grã-Bretanha também descobriram que casais apaixonados tendem a combinar a direção da cabeça durante seus beijos.

Enquanto os homens eram cerca de 15 vezes mais propensos do que as mulheres a iniciar o beijo, mais de dois terços inclinaram a cabeça para a direita.

O artigo, publicado na revista Scientific Reports, é o primeiro a investigar um viés inerente de virar a cabeça para um lado enquanto as pessoas se beijam em um contexto não-ocidental.

“O giro da cabeça é um dos primeiros vícios observados no desenvolvimento – mesmo no útero a preferência por virar a cabeça para a direita é observável antes de favorecer a mão ou o pé direito. Se esse viés fundamental é inato e se prolonga até a idade adulta é uma questão persistente para neurociência e psicologia”, explicou o autor principal Dr. Rezaul Karim, do departamento de psicologia da Universidade de Dhaka.

Para o estudo, a equipe convidou 48 casais para se beijar em particular em suas próprias casas e depois de se beijar, foram convidados a ir a diferentes salas, abrir um envelope e depois informar sobre vários aspectos do beijo, independentemente de cada parceiro.

Seus resultados evidenciaram um viés de girar as cabeças para a direita quando se beijavam tanto para quem estava começando ou recebendo o beijo.

“Além disso, a direção os beijos previa fortemente a direção inclinada do destinatário dos beijos, o que sugere que os receptores do beijo tendem a combinar a direção de cabeça de seus parceiros para evitar o desconforto das cabeças na mesma direção”, Observaram os autores.

O cenário para o estudo foi significativo, já que beijos em Bangladesh são um comportamento muito privado; algo censurado pela televisão ou filmes.

“Então, enquanto resultados semelhantes dos países ocidentais podem ser atribuídos a fatores culturais ou ter aprendido a beijar através de influências na TV ou no cinema, o mesmo não pode ser dito tão facilmente para um país não-ocidental como o Bangladesh”, observou a equipe.

Isso sugere que o ato de beijar é determinado pelo cérebro dividindo as tarefas em seus diferentes hemisférios – semelhante a ser direto ou canhoto – especificamente as funções no hemisfério cerebral esquerdo, localizadas na emoção e áreas relacionadas à decisão do cérebro.

Os pesquisadores sugerem diferentes níveis de hormônios (como a testosterona) em cada hemisfério e os neurotransmissores podem ser distribuídos de forma desigual para cada hemisfério (como a dopamina, envolvidos em comportamentos de recompensa), dando origem a um viés para virar à direita.

Isso pode ter implicações se você for canhoto e seu parceiro é destro ou vice-versa.

Segundo o Dr. Michael Proulx da Universidade de Bath, este estudo é único para nos dar uma olhada em um comportamento privado em uma cultura privada com implicações para todas as pessoas.

“Os trabalhos anteriores não podiam excluir a aprendizagem cultural devido a amostras ocidentais. Acontece que nós, como seres humanos, somos semelhantes, mesmo que nossos valores sociais sejam diferentes”, disse ele.

Deixe seu comentário!