Por que o sol não consegue derreter a neve?

Há algumas coisas na natureza que têm uma grande capacidade de refletir a luz do sol. A neve é uma delas.

A neve recentemente formada tem capacidade de refletir cerca de 90% da luz solar que cai sobre ela. Isso significa que o sol é impotente para derreter a neve limpa.

E quando a neve derrete, não é por causa da luz solar. A neve não derrete em um dia de primavera por causa do calor do sol. Derrete por causa do ar quente do mar.

Depois que a neve se torna gelo, surge um problema diferente. O gelo limpo absorve cerca de dois terços da luz do sol que a atinge – mas o gelo é transparente o suficiente para que a luz penetre profundamente (10 metros ou mais) antes da absorção ocorrer.

É notável os resultados profundos desta simples propriedade de transparência para a luz solar. Se, em vez de penetrar profundamente, a luz fosse absorvida em uma camada superficial de gelo, o sol do verão aumentaria rapidamente a temperatura da fina camada superficial até o ponto de fusão. E quase imediatamente, a água escorreria.

Mas quando a luz solar penetra em uma camada grossa de gelo antes de poder ser absorvida, ela não pode elevar a temperatura do gelo no ponto de fusão com rapidez suficiente.

Quando o gelo está muito frio, todo o verão pode passar antes de qualquer derretimento ocorrer. É o que acontece hoje na Antártida, assim como deve ter acontecido no norte da Europa durante a Era do Gelo.

Imagine, se por algum motivo, o gelo fosse derretido pela luz, as geleiras que hoje existem virariam água líquida em alguns anos, aumentando o nível do mar em 60 metros ou mais. Inundaria pelo menos metade da população mundial.

Isso é simplesmente incrível. Como algo tão simples depende tanto de uma propriedade física!

As nuvens refletem cerca de 50% da luz que as atinge. O gelo e os desertos refletem 35%. As áreas de terra geralmente não são um bom negócio para refletividade – geralmente 10 a 20%, dependendo da natureza da vegetação.

Os oceanos, que cobrem 71% da superfície da Terra, são menos reflexivos de todos – apenas cerca de 3%. É por isso que os oceanos aparecem escuros em imagens da Terra tiradas da Lua ou de satélites artificiais.

Quando todas as fontes de reflexão são agregadas juntas, nosso planeta reflete de volta ao espaço cerca de 36% da radiação solar que cai sobre ele.