Nossos átomos vieram de um lugar bem longe no universo

Um novo estudo revelou que metade dos átomos que compõem nossos corpos vieram de além da galáxia.

Uma das citações mais famosas do astrônomo Carl Sagan afirma:

“O nitrogênio em nosso DNA, o cálcio nos nossos dentes, o ferro em nosso sangue, o carbono em nossas tortas de maçã foram feitos no interior das estrelas que colapsam. Nós somos feitos de estrelas”.

Agora, de acordo com os resultados de uma nova simulação de computador, os átomos que compõem nossos corpos não só vieram do núcleo de uma estrela, mas de uma estrela que estava situada em uma galáxia distante.

Grandes galáxias, como nossa própria Via Láctea, dizem cientistas, acumulam grande parte de sua questão em grupos de estrelas vizinhas até um milhão de anos-luz de distância.

“Nós não percebemos o quanto da massa nas galáxias da Via Láctea de hoje foi realmente roubada dos ventos de outras galáxias”, disse o co-autor do estudo, Claude-Andre Faucher-Giguere.

Essas partículas são originárias de supernovas (estrelas explodindo) e são enviadas através do cosmos por ventos galácticos – fluxos de partículas carregadas que são alimentadas por essas explosões.

Anteriormente, se acreditava que esses ventos eram insuficientes para enviar grandes quantidades de partículas através das vastas distâncias entre as galáxias vizinhas, mas agora parece que as forças envolvidas na verdade devem ser mais fortes do que alguém havia percebido.

A transferência de matéria de uma galáxia para outra, no entanto, certamente não é um processo rápido, com cientistas estimando que pode levar de várias centenas de milhões a dois bilhões de anos.

Isso faz muito tempo que os átomos em seu corpo tenham flutuado no espaço.

Deixe seu comentário!