Mulher de 128 anos foi “miserável a vida toda”

Uma mulher considerada o ser humano mais antigo do mundo referiu-se a sua vida extremamente longa como uma “punição”.

Koku Istambulova, da Tchetchênia, que afirma ser uma recordista de 128 anos, afirma que sempre foi infeliz e que sua extrema longevidade é “a vontade de Deus”.


Infelizmente sua idade não pode ser confirmada porque seus documentos foram perdidos durante a Segunda Guerra Tchetchena, entretanto seu passaporte lista sua data de nascimento como 1 de junho de 1889.

Oficialmente, a humana mais velha do mundo foi Jeanne Calment que tinha 122 anos quando morreu em 1997.

“Foi a vontade de Deus. Eu não fiz nada para que isso aconteça”, disse Istambulova quando perguntada sobre sua idade.

“Eu vejo pessoas [que vivem muito tempo] fazendo esportes, comendo algo especial, mantendo-se em forma, mas não tenho ideia de como vivi até agora.”

“Eu não tive um único dia feliz na minha vida. Eu sempre trabalhei duro, cavando no jardim. Estou cansada. A vida longa não é de forma alguma um presente de Deus para mim – mas uma punição.”

Sua única filha, Tamara, morreu há cinco anos aos 104 anos de idade.

“Olhando para a minha vida infeliz, gostaria de ter morrido quando jovem”, disse ela. “Eu trabalhei toda a minha vida. Eu não tive tempo para descanso ou entretenimento.”

“Nós estávamos cavando o chão ou plantando as melancias. Quando eu estava trabalhando, meus dias estavam correndo um por um. E agora eu não estou vivendo, estou apenas arrastando.”

Deixe seu comentário!