Mistério de destroços de 500 anos encontrados no Báltico

O naufrágio incrivelmente bem preservado de um navio renascentista foi descoberto no fundo do oceano.A existência do navio foi sugerida pela primeira vez em 2009, quando as varreduras de sonar em todo o local, conduzidas pela Administração Marítima Sueca, revelaram a presença de algo incomum no fundo do mar.

Somente uma década depois, quando a empresa de pesquisa marítima MMT investigou a área antes da instalação de um gasoduto, é que o significado completo da descoberta foi realizado.

O navio, que se pensa remontar ao século XV ou XVI, foi pesquisado em detalhes usando veículos operados remotamente (ROVs), ajudando assim os pesquisadores a construir um modelo de computador 3D.Incrivelmente, o casco e os mastros da embarcação estão intactos, assim como as partes do cordame. Também é possível ver o cabrestante e a bomba de porão, bem como algumas das pistolas giratórias em seus locais originais.

No entanto, não está claro exatamente de onde o navio se originou.

“Sabemos que é o naufrágio mais antigo do Báltico”, disse o arqueólogo marítimo Rodrigo Pacheco-Ruiz. “Não há outro navio no mundo desse período como este. Temos navios mais antigos, mas eles são apenas madeiras ou metal – nunca temos um navio como este com mastros e âncoras.”

“Está mudando o jogo por causa do período a que se refere. Eu acho que é importante aprofundar a colaboração entre universidades e o setor comercial – no passado, isso sempre foi feito como equipes de caça ao tesouro ou pessoas que não entendem o patrimônio cultural”. ”

Deixe seu comentário!