Mistério da menina desaparecida no Vaticano se aprofunda

Autoridades em busca dos restos mortais de uma garota desaparecida em Roma levantaram a tampa de um mistério completamente novo.O desaparecimento em 1983 de Emanuela Orlandi, 15 anos, filha de um funcionário do Vaticano, continua sendo um dos casos mais persistentes de pessoas desaparecidas na Itália.

A adolescente estava voltando para casa depois de uma aula de música quando desapareceu sem deixar vestígios.


Apesar de uma investigação extensa e em andamento, que durou várias décadas, nenhuma explicação conclusiva para o que aconteceu com ela jamais foi encontrada.

Mais recentemente, a família de Emanuela recebeu uma carta anônima sugerindo que seus restos mortais podem ter sido enterrados no cemitério teutônico do Vaticano, onde há a estátua de um anjo segurando um livro.À luz dessas informações, as autoridades exumaram os túmulos de duas princesas no cemitério – a princesa Sophie von Hohenlohe, que havia morrido em 1836 e a princesa Carlotta Federica de Mecklenburg, que morreu em 1840 – no entanto, para surpresa de todos, os túmulos não continham restos.

“O resultado da busca foi negativo”, disse um porta-voz do Vaticano.

“Não foram encontrados restos humanos ou urnas funerárias”.

Esforços estão em andamento para determinar por que os restos mortais das duas princesas estão desaparecidos.

Deixe seu comentário!