Lagarto pré-histórico tinha quatro olhos

Uma nova análise de fósseis revelou que uma espécie particular de lagarto tinha olhos extras no topo de sua cabeça.

A descoberta notável, feita por pesquisadores da Universidade de Yale e do Instituto de Pesquisa Senckenberg, na Alemanha, diz respeito a uma espécie conhecida como “Saniwa ensidens”, que viveu há aproximadamente 49 milhões de anos.

Seus restos fósseis foram desenterrados 150 anos atrás na bacia de Bridger, no sudoeste do Wyoming, no entanto, sua característica mais incomum não havia sido identificada.

“Isso nos diz como é fácil, em termos de evolução, montar um órgão complexo sob certas circunstâncias”, disse o paleontólogo de Yale, Bhart-Anjan Bhullar, que coordenou o estudo.

“Os olhos são classicamente considerados como estruturas notavelmente complexas. Na verdade, o cérebro está apenas esperando pelos sensores nos olhos”.

Os dois olhos adicionais, que estão situados no topo da cabeça do lagarto, parecem ter se formado a partir dos órgãos pineal e parapinífero – estruturas fotossensoriais que auxiliam na orientação.

O órgão pineal, em particular, é muitas vezes referido como um “terceiro olho”.

“Ao descobrir um lagarto de quatro olhos, no qual tanto a pineal quanto a parapineal formaram um olho no topo da cabeça, poderíamos mostrar que o terceiro olho do lagarto é realmente diferente do terceiro olho de outros vertebrados”, disse o principal autor do estudo. Krister Smith.

Deixe seu comentário!