Irã tem um grupo de golfinhos assassinos soviéticos?

Acontece que existe a possibilidade, embora pequena, de que a Marinha do Irã inclua assassinos treinados de golfinhos.

Já na década de 1960, as forças armadas de todo o mundo têm se envolvido com a idéia de treinar golfinhos para atacar, sabotar ou espionar seus inimigos.


A Rússia, em particular, era notória por seus projetos militares baseados em golfinhos e, segundo relatos, alguns dos animais que treinou para matar mergulhadores inimigos podem ter acabado no Irã.

A história diz que, em 1991, após o colapso da União Soviética, uma unidade de golfinhos treinados militares foi enviada para a Península da Crimeia, onde foram ensinados a atacar sapos inimigos com arpões e explodir navios inimigos ao estilo kamikaze usando minas marítimas explosivas amarradas a os corpos deles.

No entanto, essa unidade de crack de golfinhos acabou sendo vendida para o Irã por volta do ano 2000, onde eles teriam continuado seu treinamento como parte dos esforços militares do país.

Hoje, o destino desses animais permanece incerto, mas supõe-se que o Irã ainda os tenha.

Dado que os golfinhos podem viver até 50 anos, é possível que alguns deles ainda estejam por perto.

Então, eles poderiam realmente ser implantados como parte de qualquer conflito futuro entre o Irã e os EUA? As chances são extremamente remotas – para não mencionar que já seriam positivamente antigas.

No momento, os golfinhos geriátricos armados com arpões são provavelmente a menor das nossas preocupações.

Deixe seu comentário!