Informante da CIA afirmou que Hitler sobreviveu à Segunda Guerra Mundial

Documentos da CIA liberados recentemente indicaram que Hitler pode não ter se suicidado em seu bunker.

Em 1955, o chefe da Divisão do Hemisfério Ocidental da CIA teria enviado um memorando secreto ao chefe da estação de atuação na Venezuela, que recebeu uma palavra de um de seus informantes de que Hitler realmente havia sobrevivido à guerra e agora estava vivendo uma existência isolada na Argentina.

O informante não era outro senão o ex-soldado SS Phillip Citroën, que afirmou ter estado em contato regular com Hitler, que passava pelo nome Adolph Schuttlemayer, mensalmente.

O documento concluiu afirmando que nenhum dos envolvidos estava em condições de fornecer uma avaliação de inteligência sobre o assunto e que estava sendo encaminhado a partir de “possíveis interesses”.

Ainda mais intrigante foi a descoberta pelo chefe do WHD de um relatório semelhante arquivado no ano anterior, afirmando que, não só Hitler, mas um grupo inteiro de nazistas vivia na América do Sul.

“Phillip Citroen disse a um ex-membro desta base que, enquanto trabalhava para uma empresa ferroviária na Colômbia, conheceu um indivíduo que se parecia e afirmava ser Hitler”, diz o memorando.

“Citroen afirmou ter encontrado o indivíduo em um lugar chamado ‘Residencias Coloniales’ em Tunja, na Colômbia, que é, segundo a fonte, um povoado com ex-nazistas”.

Hitler supostamente deixou Columbia para a Argentina em janeiro de 1955 e Citroen também sugeriu erroneamente ao chefe da estação que, como dez anos se passaram, ele não podia mais ser processado.

No entanto, o assunto foi finalmente abandonado e nada mais surgiu.

O documento desclassificado, juntamente com uma suposta imagem de Hitler, pode ser visto – aqui .

Deixe seu comentário!