Gorilas também podem ser suscetíveis ao coronavírus

Pesquisadores alertaram que o COVID-19 pode representar um sério risco para populações ameaçadas de gorilas na África.

Os gorilas da montanha – que agora somam cerca de 1.000 – são alguns dos primatas mais ameaçados da Terra, há muito que sofrem com as consequências da caça furtiva, destruição de habitat e invasão humana em seu território em países como Ruanda e Uganda.


Escusado será dizer, portanto, que a última coisa que eles precisam é outra ameaça à sua sobrevivência.

Infelizmente, agora parece que o coronavírus, que já infectou mais de 700.000 pessoas em todo o mundo, também pode ser capaz de infectar gorilas da montanha.

O Parque Nacional de Virunga, no Congo, que abriga cerca de um terço dos gorilas das montanhas restantes do mundo, fechou a área para visitantes em uma tentativa de proteger os animais do vírus.

As autoridades citaram “conselhos de especialistas científicos indicando que primatas, incluindo gorilas das montanhas, provavelmente são suscetíveis a complicações decorrentes do vírus COVID-19”.

Ruanda também tomou medidas para fechar seus parques para turistas por enquanto também.

Segundo Paula Kahumbu, diretora executiva do grupo de conservação WildlifeDirect, os gorilas podem ser suscetíveis a contágios humanos, mesmo na melhor das hipóteses.

“Sabemos que os gorilas são muito sensíveis às doenças humanas”, disse ela. “Se alguém tiver um resfriado ou uma gripe, não poderá ir ver os gorilas”.

“Com o coronavírus sem tempo de sintomas em alguns casos, isso significa que poderíamos realmente colocar esses gorilas em risco”.

Deixe seu comentário!