Futuros robôs de Marte poderiam ser autônomos

Veículos exploratórios equipados com inteligência artificial poderiam abrir a superfície de Marte como nunca antes.

Embora os cientistas tenham feito grandes avanços no desenvolvimento de veículos itinerantes para uso em outros mundos nas últimas duas décadas, há limitações para o que pode ser alcançado com controles manuais.

Do jeito que as coisas estão agora, os robôs de Marte se movem muito lentamente e exigem comandos de um operador humano na Terra para funcionar – comandos que levam vários minutos para chegar devido às distâncias envolvidas.

Os robôs autônomos, no entanto, têm o potencial de serem muito mais rápidos e podem responder em tempo real a obstáculos – bem como a pontos de interesse – na superfície marciana.

Um exemplo prático dessa tecnologia pode ser encontrado em “Sherpa” – um robô de quatro rodas projetado e construído por pesquisadores do King’s College de Londres e da empresa aeroespacial Airbus.

Projetado para operar sem a necessidade de comandos humanos, o rover foi recentemente deixado no deserto do Saara por um mês para ver como ele se desenvolveu em condições semelhantes às encontradas em Marte.

Conseguiu passar com cores de vôo – tendo viajado 1.4km tudo sozinho durante aquele tempo.

“Marte é um planeta muito difícil de pousar com segurança, por isso é essencial maximizar as descobertas de cada aterrissagem bem-sucedida”, disse Catherine Mealing-Jones, da Agência Espacial do Reino Unido.

“A nova tecnologia de robô autônomo como essa ajudará a desvendar ainda mais os mistérios de Marte e eu estou muito feliz que o Reino Unido seja um jogador-chave.”

Deixe seu comentário!