Fuga de Alcatraz continua sendo um mistério após 55 anos

A fuga de três homens da “inescapável” prisão de Alcatraz completou esta semana seu 55º aniversário.

Localizados na baía de São Francisco e cercados por correntes de maré traiçoeira, as paredes impenetráveis ​​da prisão e os confinamentos bem guardados tornaram praticamente impossível escapar.

Isso não impediu que os ladrões de bancos, Clarence Anglin, John Anglin e Frank Morris terem uma chance de vida livre. Em 11 de junho de 1962, os homens conseguiram uma das fugas mais audaciosas na história.

Para escapar de suas carceragens, os homens passaram seis meses cavando minuciosamente um túnel do concreto usando colheres afiadas.

Para manter os guardas longe de notarem qualquer coisa, principalmente durante a noite de suas fugas, eles montaram cabeças fofas de sabão, papel e cabelo para colocar em suas camas.

Uma vez que eles conseguiram chegar à beira da água, os homens montaram uma jangada inflável feita de casacos de chuva e partiram para a água de correnteza rápida em um esforço de alcançar a terra em segurança.

Os três, no entanto, desapareceram naquela noite e seus destinos permaneceram um mistério desde então.

Embora tenha havido notícias recentes e rumores sugerindo que alguém teria os ajudado, nunca houve nenhuma explicação concreta sobre o que aconteceu.

As águas da baía teriam arrastado os homens para as suas mortes ou conseguiram chegar ao litoral? Mesmo que, de alguma forma, tenham sobrevivido, como viveram suas vidas depois?

Mais de cinco décadas este ainda é um mistério que nunca pode ser realmente resolvido.

Deixe uma resposta