Fotos das fadas de Cottingley irão para leilão

As fotografias originais no centro de uma das fraudes mais infames do século 20 poderiam custar mais de US $ 90 mil.

A história das fadas de Cottingley veio da mais improvável das fontes – duas jovens primas, Elsie Wright e Frances Griffith, de Cottingley, Inglaterra.

A dupla, que costumava brincar perto de um riacho no fundo do jardim da mãe de Elsie, alegou que havia fadas morando lá. Para provar isso, Elsie um dia pegou emprestada a câmera do pai e as meninas passaram 30 minutos tirando fotos delas.

As fotografias, consideradas altamente convincentes na época, tornaram-se públicas em meados de 1919 e rapidamente se tornaram famosas em todo o país. Muitos acreditavam que as fadas eram reais, incluindo o autor e espiritualista Sir Arthur Conan Doyle, que incluiu as fotos em um artigo de revista que ele havia escrito.

O mistério das fadas de Cottingley duraria mais de 60 anos até que, finalmente, em 1983, os dois primos admitiram que as fotografias haviam sido falsificadas usando ilustrações recortadas de um livro.

Ambos, no entanto, permaneceram inflexíveis em ver genuinamente fadas no fundo do jardim.

Agora, 100 anos a partir de quando eles foram originalmente publicados, as fotografias estão definidas para ir sob o martelo em Dominic Winter Auctioneers em Cirencester, Gloucestershire em 11 de abril.

“Acho que as impressões de contato das fadas são fotografias incrivelmente significativas dentro do contexto desta história notável”, disse o especialista em fotografia Chris Albury.

“O primeiro de Frances e o Anel de Fadas é talvez a mais importante fotografia existente relacionada a esse drama.”

Deixe seu comentário!