Fóssil de Plesiossauro descoberto na Antártida

Com 150 milhões de anos, este réptil pré-histórico é a criatura mais antiga da região.

As quatro nadadeiras e o longo pescoço do plesiossauro tornam-no um dos habitantes de habitação oceânica mais reconhecíveis do Jurássico, graças em grande parte à lenda do Monstro do Lago Ness.

Ao contrário de sua contrapartida criptozoológica, no entanto, o próprio plesiossauro era uma criatura muito real e agora seus restos fósseis apareceram em um dos lugares mais inóspitos da Terra – a Antártica.

“Este registro de plesiosaurus é 80 milhões de anos mais antigo do que o que se conhecia para a Antártica”, disse o paleontólogo José Patricio O’Gorman, do Museu da Prata da Argentina.

O local da descoberta é tão remota que os cientistas tiveram que fazer um passeio de helicóptero de duas horas da Base da Argentina até a extremidade do continente antártico para alcançá-lo.

“É o lugar mais distante da paleontologia de vertebrados na Antártica”, disse o paleontólogo Soledad Cavalli.

“As campanhas argentinas geralmente são realizadas nas proximidades da Base Marambio, mas aqui ampliamos o alcance da ação e estamos interessados ​​em ir para lugares ainda mais longe”.

Deixe seu comentário!