Expert reconstrói o rosto de “bruxa” escocesa

Um artista forense remontou a aparência de uma mulher que foi presa por feitiçaria.

Lilias Adie, cujos restos foram descobertos enterrados sob uma grande pedra na costa de Fife, foi presa na Escócia no século 18 por supostamente “confessar” ser uma bruxa.

Ela morreu na prisão em 1704 antes que sua sentença de morte na fogueira pudesse ser realizada.

Agora, o artista forense Dr. Christopher Rynn, do Centro de Anatomia e Identificação Humana da Universidade Dundee, usou fotografias de seu crânio para criar uma reconstrução 3D de seu rosto.

“Não houve nada na história de Lilias que me sugeriu que hoje em dia ela seria considerada outra coisa senão vítima de circunstâncias horríveis”, disse ele.

“Então eu não vi motivos para uma expressão desagradável ou má e ela acabou tendo um rosto bastante gentil, de forma bastante natural”.

A maioria das bruxas suspeitas naquele tempo eram queimadas em vez de enterradas.

“Foi um momento verdadeiramente misterioso quando o rosto de Lilias apareceu de repente”, disse a apresentadora da BBC Radio Scotland, Susan Morrison.

“Aqui estava o rosto de uma mulher com quem você poderia conversar, embora conhecesse sua história, era um pouco difícil de olha-la nos olhos”.

Deixe seu comentário!