Estudo: ‘1 em cada 10 teve uma experiência de quase morte’

Novas pesquisas envolvendo participantes de 35 países destacaram a surpreendente prevalência de EQMs.

Apresentado em 29 de junho no Congresso da Academia Europeia de Neurologia em Oslo, na Noruega, o estudo procurou determinar a conexão entre experiências de quase morte e distúrbios do sono REM.

Um total de 1.034 pessoas de 35 países participaram da pesquisa, com 289 participantes relatando uma experiência de quase morte em algum momento de suas vidas. Dessas, 106 foram consideradas como tendo uma experiência genuína de quase morte com base em suas respostas a perguntas adicionais da pesquisa.

Tais experiências geralmente se concentravam na sensação de estar separado do corpo, mas também incluíam uma percepção anormal do tempo, pensamentos acelerados e sentidos elevados.

Cerca de metade das pessoas com experiências de quase morte relataram tê-las durante uma situação de risco de vida, enquanto outras tiveram a experiência durante um evento estressante, como o nascimento de uma criança.

Fundamentalmente, em relação aos objetivos do estudo, 47% dos experimentadores também relataram invasões do sono REM, como paralisia do sono, sugerindo que de fato poderia haver uma conexão entre os dois.

“Identificar os mecanismos fisiológicos por trás da intrusão do sono REM na vigília pode melhorar nossa compreensão das experiências de quase morte”, disse o principal autor do estudo, Dr. Daniel Kondziella.

Deixe seu comentário!