Estamos vivendo em um croissant gigante desinflado?

Os cientistas determinaram a forma mais provável da heliosfera que envolve o sistema solar.

Gerada pelo Sol, esta vasta região protetora é composta de partículas solares carregadas e campos magnéticos que bloqueiam alguns dos raios cósmicos altamente energéticos vindos do espaço interestelar.


Por muito tempo, os cientistas acreditaram que a heliosfera era provavelmente em forma de cometa com uma borda de ataque arredondada, mas agora um novo estudo lançou dúvidas sobre essa ideia – em vez de sugerir que a forma desta região protetora pode ser muito mais estranha e caótica do que realizado anteriormente.

De acordo com a equipe, a heliosfera pode de fato se parecer com um croissant gigante desinflado.

Determinar sua forma certamente não é fácil, especialmente considerando que apenas duas espaçonaves – Voyager 1 e Voyager 2 – realmente amostraram a borda dela diretamente, deixando poucos dados para trabalhar.

Para o novo estudo, os cientistas decidiram derivar a forma da heliosfera por outros meios, como estudando medições de raios cósmicos galácticos vindos do espaço profundo.

Eles também analisaram os ‘íons captadores’ (que são carregados pelo vento solar) medidos pela sonda New Horizons Plutão da NASA.

No final do dia, compreender a forma da heliosfera é particularmente benéfico, especialmente porque permite aos cientistas mapear melhor quais regiões do espaço estão protegidas dos raios cósmicos galácticos – algo que pode ser inestimável no planejamento de futuras missões espaciais.

Também ajuda a fornecer uma melhor compreensão do sistema solar em geral.

Deixe seu comentário!