Esqueleto lança nova luz sobre os primeiros americanos

Restos humanos de 10.000 anos ajudaram a reescrever o livro de história dos primeiros colonos da América.

Descoberto em uma caverna subaquática conhecida como Chan Hol, perto da cidade de Tulum, no México, o esqueleto desafia a visão tradicional de que os primeiros colonos chegaram às Américas como uma única população.


Uma análise revelou que o esqueleto, que pertencia a uma mulher paleoindiana de 30 anos, tem um crânio diferente dos de outros esqueletos encontrados no mesmo período, sugerindo “pelo menos duas populações paleoindianas morfologicamente diferentes. “

O primeiro grupo de humanos a chegar nas Américas atravessou uma ponte terrestre que conectou a Ásia à América do Norte durante a última era glacial há cerca de 12.000 anos.

“Os esqueletos de Tulum podem indicar que mais de um grupo de humanos chegou originalmente ao continente americano a partir de diferentes pontos geográficos de origem, ou que houve tempo suficiente para um pequeno grupo de primeiros colonos que viviam isolados na Península de Yucatán desenvolver um morfologia diferente do crânio “, disse Silvia Gonzalez, da Universidade John Moores, em Liverpool.

“Em ambos os casos, a história dos primeiros assentamentos das Américas parece ser mais complicada e pode remontar milhares de anos antes do que se costuma acreditar, de acordo com os novos dados de morfologia humana”.

Deixe seu comentário!