Dinossauros fortemente blindados também tinham camuflagem

Dinossauros equipados com espinhos e placas ósseas também podem ter usado camuflagem para evitar predadores.

Os paleontologistas que analisam material orgânico recuperado de um fóssil de nodossauro, que remonta a mais de 110 milhões de anos, descobriram que este pré-histórico vegetariano tinha mais do que apenas defesas físicas para mantê-lo a salvo de dinossauros predatórios.

Sua armadura, parecida com uma cadeia de espinhos, tinha uma cor vermelha e branca distinta que teria atuado como uma forma de camuflagem.

“Rinocerontes também tinha chifres e eles podiam usá-lo para se esquivar”, disse o co-autor do estudo, Jakob Vinther. “Eles perderam camuflagem – eles não precisam disso”.

“A camuflagem do nodossauro significa que ainda existiam predadores – esses animais foram engolidos e comidos pelos grandes dinossauros terópodes. As coisas eram assustadoras naquela época”.

O fóssil que foi analisado para o estudo, que é ilustrado acima, foi descoberto na Mina do Vale do Suncor no Canadá e está tão bem preservado que quase parece uma estátua.

“Sempre há muita hipérbole quando um novo dinossauro é descoberto, mas este merece todos os superlativos”, disse o paleontólogo Stephen Brusatte da Universidade de Edimburgo.

“É um dos esqueletos mais lindos e melhor preservados que já vi”.

Deixe seu comentário!