Dickinsonia é o animal mais antigo do mundo

Um novo estudo lançou mais luz sobre um fóssil misterioso que os cientistas dizem ser tão “estranho quanto a vida em outro planeta”.

Assemelhando-se a um cruzamento estranho entre um fungo, um líquen, um verme e uma água-viva, esse organismo peculiar foi descrito pela primeira vez em 1947 e permaneceu como um enigma desde então.

Dickinsonia viveu centenas de milhões de anos atrás no fundo do mar e variou de tamanho de poucos milímetros até cerca de meio metro. O que é particularmente intrigante sobre a espécie é que ela foi um dos primeiros organismos conhecidos a se movimentar do que simplesmente ficar enraizada no local.

Agora, em um novo estudo, cientistas da Universidade Nacional Australiana (ANU) conseguiram aprender mais sobre esses organismos peculiares graças à descoberta de fósseis adicionais de Dickinsonia com tecido orgânico preservado dentro das impressões deixadas pelos corpos das criaturas.

“Os cientistas lutam há mais de 75 anos pelo que Dickinsonia e outros fósseis bizarros da biota ediacarana eram: ameba gigante unicelular, líquen, experimentos fracassados ​​de evolução ou os primeiros animais da Terra”, disse o coautor do estudo, Jochen Brocks. .

“A gordura fóssil confirma agora a Dickinsonia como o mais antigo fóssil animal conhecido, resolvendo um mistério de décadas que tem sido o Santo Graal da paleontologia.”

Deixe seu comentário!