Dickinsonia, a criatura misteriosa de 550 milhões de anos

Os cientistas acreditam que eles finalmente descobriram que tipo de criatura ‘Dickinsonia’ realmente era.

Um estranho cruzamento entre um fungo, um líquen, um verme e uma água-viva, este organismo peculiar foi descrito pela primeira vez em 1947 e permaneceu como um enigma desde então.

Dickinsonia viveu há centenas de milhões de anos no fundo do mar e variou em tamanho de alguns milímetros até cerca de meio metro. O que é particularmente intrigante sobre a espécie é que foi um dos primeiros organismos conhecidos a se deslocar ao invés de simplesmente ficar enraizado no local.

Agora, um novo estudo realizado por pesquisadores das universidades de Oxford, Cambridge e Bristol determinou que Dickinsonia provavelmente teria sido um animal como oposição a uma planta ou a um fungo.

A pesquisa envolveu analisar as “unidades” que correm pelo comprimento do corpo da criatura e comparando assim com as de outros espécimes para determinar a taxa de crescimento ao longo do tempo.

“Quando combinamos esses dados de crescimento com informações previamente obtidas sobre a Dickinsonia, assim como algumas de suas características morfológicas, fomos capazes de rejeitar todas as possibilidades não-animais por sua afinidade biológica original e mostrar que era um animal inicial, pertencente para o Placozoa ou o Eumetazoa”, disse a Dra. Renee Hoekzema, candidata a doutorado no Instituto de Matemática da Universidade de Oxford.

“Esta é uma das primeiras vezes que um membro da Biota ediacarana foi identificado como um animal com base em evidências positivas”.

Deixe seu comentário!