Coronavírus não foi produzido em laboratório, segundo estudo

Novas pesquisas descartaram as teorias da conspiração, sugerindo que o vírus foi criado em laboratório.

Com as infecções por COVID-19 em todo o mundo agora ultrapassando 550.000, mais pessoas do que nunca procuraram uma resposta para a pergunta de como o vírus surgiu em primeiro lugar.

Embora a história oficial tenha sido sempre a de que foi contratada pela primeira vez através do contato com animais em um mercado ilegal de frutos do mar na cidade chinesa de Wuhan, os teóricos da conspiração há muito tempo minimizam essa explicação, preferindo a ideia de que era realmente uma criação feita pelo homem .

Agora, no entanto, um novo estudo envolvendo uma análise detalhada de todas as evidências disponíveis desmentiu definitivamente essa teoria em particular e reafirmou que o vírus realmente se desenvolveu naturalmente.

A chave para isso está no fato de o vírus não compartilhar nenhum “backbone de vírus usado anteriormente”, o que significa que não há nada que sugira que ele foi criado em um laboratório.

Em vez disso, surgiu através da recombinação de dois vírus encontrados em morcegos e pangolins.

“Há muita especulação e conspiração teorias que iam a um nível bastante elevado”, co-autor do estudo Dr. Robert Garry da Escola de Medicina da Universidade de Tulane disse ABC News .

“Então sentimos que era importante reunir uma equipe para examinar as evidências desse novo coronavírus para determinar o que podíamos sobre a origem”.

Embora o COVID-19 seja 96% idêntico ao coronavírus encontrado em morcegos, os pesquisadores foram capazes de identificar uma certa variação que pode explicar por que ele tem se mostrado tão infeccioso.

“Sabemos pelo estudo de outros coronavírus que eles são capazes de adquirir essa [variação] e podem se tornar mais patogênicos”, disse Garry.

Deixe seu comentário!