Cientistas revelam segredos perdidos do Dodo

Relativamente pouco se sabe sobre as espécies icônicas que foram destruídas por humanos há mais de 350 anos.

O Dodo, um pássaro sem voo que habitava a ilha das Maurícias, é talvez o exemplo mais conhecido de uma espécie caçada à extinção pelo homem – uma criatura que se tornou sinônimo da ideia de que nossas atividades neste planeta podem ter consequências terríveis para outras espécies.

O primeiro encontro relatado com um Dodo foi feito por marinheiros holandeses em 1598 e, em 1662, as espécies foram completamente destruídas devido à caça e à destruição de seu habitat.

Agora, cientistas conseguiram esclarecer sobre o que essas aves perdidas poderiam ter sido ao analisar os ossos de 22 espécimes ao microscópio.

Suas descobertas sugeriram que eles cresciam rapidamente para o tamanho adulto, o que os ajudaria a sobreviver durante a temporada de furacões. Os pássaros também tinham uma plumagem cinza.

“Antes do nosso estudo, nós conhecíamos muito pouco sobre esses pássaros”, disse Delphine Angst, da Universidade de Cape Town, África do Sul.

“Usando a histologia óssea pela primeira vez, conseguimos descrever que esse pássaros estavam realmente se reproduzindo em determinada época do ano”.

Deixe seu comentário!