CIA experimentou cães controlados pela mente

Documentos recentemente desclassificados revelaram os esforços da CIA para controlar cães por meio de estimulação elétrica cerebral.

A pesquisa foi realizada como parte do Projeto MKUltra – um programa secreto de experimentos (muitas vezes ilegais) de controle mental conduzidos pelo governo dos EUA entre 1953 e 1973.


De acordo com documentos recentemente desclassificados liberados por meio de um pedido da Lei de Liberdade de Informação (FOIA), um desses experimentos envolveu a criação de seis cães controlados pela mente que poderiam receber ordens para executar ações rudimentares sob demanda por um operador humano.

Um dos arquivos descreve “um procedimento demonstrado para controlar os comportamentos de campo livre de um cão irrestrito” através do uso de estimulação elétrica cerebral.

“O objetivo específico do programa de pesquisa foi examinar a possibilidade de controlar o comportamento de um cão, em campo aberto, por meio de um estímulo remoto do estímulo elétrico do cérebro”, diz o texto.

“Tal sistema depende da sua eficácia em duas propriedades de estimulação elétrica fornecidas a certas estruturas profundas do cérebro do cão: o conhecido efeito de recompensa e uma tendência para tal estimulação iniciar e manter a locomoção em uma direção que é acompanhada por a entrega continuada de estimulação “.

Permitir tal controle envolvia implantar eletrodos no cérebro do cão e, então, passar os fios para uma fonte de energia e um estimulador acoplados ao seu chicote.

Dos sons, no entanto, o sistema era muito limitado em termos de distância efetiva e nunca foi realmente empregado no campo.

Não está claro se os cientistas envolvidos tentaram algo semelhante em seres humanos.

Deixe seu comentário!