Cão de 18.000 anos encontrado congelado na Sibéria

Os restos incrivelmente bem preservados de um canino pré-histórico foram recuperados do permafrost.

O filhote de dois meses, apelidado de Dogor (que significa ‘amigo’ no idioma local), está tão bem preservado que quase pode ser confundido com um cachorro que morreu poucos dias atrás.


Os cientistas usaram a datação por radiocarbono para determinar a idade do animal e uma análise do genoma revelou que ele é masculino, no entanto, o sequenciamento de DNA até agora não conseguiu determinar sua espécie exata.

Pensa-se agora que poderia representar um elo evolutivo entre lobos e cães.

“Já temos muitos dados e, com essa quantidade, você esperaria dizer se eram um ou outro”, disse Dave Stanton, do Centro de Paleogenética da Suécia.

Pensa-se que a domesticação de cães tenha ocorrido entre 20.000 e 40.000 anos atrás, no entanto, essa escala de tempo permanece aberta para debate – o processo poderia ter começado muito antes.

Seja qual for o caso, é provável que a descoberta ensine aos cientistas muito sobre a história de nossos amigos caninos.

Deixe seu comentário!