Câmara escondida da Grande Pirâmide terá nova varredura

Pesquisadores do Japão realizarão novas digitalizações, em um esforço para confirmar a presença de uma câmara escondida.

Subindo 146 metros para o céu, esta última maravilha sobrevivente do mundo antigo, que está no deserto egípcio por 3.800 anos, permanece tão mergulhada em mistério hoje como quando os viajantes antigos olhavam pela primeira vez suas antigas pedras e se perguntavam: que segredos podem estar lá dentro.


Nos últimos anos, circularam rumores sugerindo que poderia haver uma grande câmara escondida situada dentro da pirâmide – uma sala que permanece fechada desde os tempos antigos.

Em 2017, as varreduras da estrutura por uma equipe internacional de pesquisadores da Universidade de Nagoya e da Organização de Pesquisa do Acelerador de Alta Energia pareciam confirmar que esse era o caso, no entanto, muito ceticismo sempre cercou essas descobertas.

Agora, em uma tentativa renovada de determinar de uma vez por todas se realmente há uma câmara escondida na Grande Pirâmide, o governo egípcio recorreu à ajuda de Sakuji Yoshimura – presidente da Universidade Internacional Higashi Nippon em Iwaki, Japão – para verificar as descobertas anteriores. .

Para esse fim, em breve uma equipe de pesquisadores irá ao Egito para realizar novas varreduras da estrutura usando radiografia de múon – uma técnica que se parece um pouco com a radiografia.

O recém-desenvolvido detector de múons da equipe funcionará por um mês dentro da Câmara da Rainha para criar uma imagem do que está por trás das paredes da pirâmide.

“A cavidade descoberta anteriormente é muito grande do ponto de vista arqueológico”, disse Yoshimura. “Estamos muito interessados ​​em verificar as descobertas”.

O projeto terminará no verão e os resultados são esperados no outono.

Deixe seu comentário!