Ascensão misteriosa em CFCs destruidores de ozônio

Os cientistas suspeitam que alguém ainda esteja produzindo uma substância química proibida que danifica a camada de ozônio.

Situada no alto da estratosfera do planeta, a camada de ozônio é uma região especial que ajuda a proteger a Terra da radiação ultravioleta prejudicial proveniente do sol.

Os cientistas notaram pela primeira vez que parecia estar enfraquecendo acima da Antártida na década de 1980, uma tendência preocupante que estava sendo alimentada pela presença de certos produtos químicos em sprays de cabelo, refrigeradores, sistemas de ar condicionado e outros produtos contendo CFC.

A descoberta de que esses produtos químicos foram responsáveis ​​por esgotar a camada de ozônio levou a uma redução significativa na fabricação e no uso de CFCs, na esperança de que isso retardasse ou mesmo revertesse o dano que eles estavam causando.

Agora, porém, mais de 30 anos depois, os cientistas detectaram um aumento inexplicável nos níveis atmosféricos de CFC-11 – sugerindo que alguém, em algum lugar, ainda está produzindo-o.

Acredita-se que a fabricação ilegal do produto químico no leste da Ásia seja a principal responsável.

“As [descobertas] apontam nessa direção, de forma bastante definitiva”, disse o Dr. Stephen Montzka.

“Estamos fazendo as medições de muito longe dessas regiões e acho que mais especificidade virá quando as pessoas … nessa região … olharem atentamente suas medições e publicarem seus resultados.”

“Qualquer produção de um gás destruidor de ozônio que é controlado pelo Protocolo de Montreal deve ser reportada à secretaria de ozônio e, atualmente, a produção global é essencialmente zero”.

“Não sabemos de nenhuma produção, mesmo para produtos intermediários ou secundários”.

Deixe seu comentário!