Árvores mais antigas da África morrem sem explicações

Várias das árvores, que datam de milhares de anos, desapareceram abruptamente na última década.

Os cientistas têm lutado para determinar por que os baobás, que podem crescer até a largura de um ônibus e são tão velhos que estavam vivos durante a época dos gregos antigos, agora pereceram.

A explicação mais provável é que elas foram vítimas dos efeitos da mudança climática.

“Nós relatamos que nove dos 13 mais velhos indivíduos morreram, ou pelo menos suas partes mais antigas / caules entraram em colapso e morreram, nos últimos 12 anos”, escreveram os pesquisadores.

“É definitivamente chocante e dramático experimentar durante a nossa vida o desaparecimento de tantas árvores com idades milenares.”

As árvores de baobá podem viver até 3.000 anos e um único tronco pode abrigar até 40 pessoas.

Com apenas alguns dos maiores e mais antigos baobás remanescentes na África, chegar ao fundo do mistério do que os está matando agora será da maior importância.

Deixe seu comentário!