A “maior coisa viva” do mundo está morrendo lentamente

Uma colônia clonal de 80.000 anos de álamos, no centro de Utah, corre o risco de ser exterminada.

A maravilha natural notável, que consiste em uma extensão de mais de 40.000 árvores, é composta de clones do mesmo aspen individual, o que significa que é considerado um único organismo vivo.

Também conhecida como “gigante trêmula”, a colônia cobre 43 hectares da Floresta Nacional de Fishlake, em Utah.

Infelizmente, apesar dos extensos esforços de conservação, parece que esta magnífica região da floresta pode estar em vias de extinção após anos de declínio devido a atividades humanas e mudanças climáticas.

Além de sofrer danos causados ​​pela derrubada de árvores, a colônia está sob ameaça de anos de seca na região, bem como de cervos e outros animais que se intrometeram nela.

“Após um investimento significativo na proteção do icônico clone Pando, ficamos desapontados com esse resultado”, disse o ecologista Paul Rogers, da Universidade Estadual de Utah.

Como as coisas estão, a colônia pode ter apenas algumas décadas.

“Além dos valores ecológicos, Pando serve como um símbolo da conexão natureza-humana e um prenúncio de perdas de espécies mais amplas”, disse o professor Rogers.

“Seria uma pena testemunhar a redução significativa desta floresta icônica quando a reversão deste declínio é realizável, se demonstrarmos a vontade de fazê-lo.”

Deixe seu comentário!