52% dos jovens adultos nos EUA vivem com os pais

O número de jovens adultos americanos que vivem com seus pais é o maior de todos os tempos ou quase, e a pandemia de coronavírus é provavelmente a razão, de acordo com uma nova análise.

Um novo relatório do Pew Research Center descobriu que a maioria dos jovens adultos – 52% – vivia com um ou ambos os pais em julho.


A análise dos dados mensais do Census Bureau observa que isso é maior do que qualquer medição anterior.

“Antes de 2020, o maior valor medido estava no censo de 1940, no final da Grande Depressão, quando 48% dos jovens viviam com os pais”, diz o relatório, publicado sexta-feira.

“O pico pode ter sido maior durante o pior da Grande Depressão na década de 1930, mas não há dados para esse período.”

Os jovens adultos são definidos como pessoas de 18 a 29 anos. O número de jovens adultos que vivem com os pais cresceu para 26,6 milhões em julho, um aumento de 2,6 milhões em relação a fevereiro.

Os jovens adultos foram atingidos de forma especialmente dura pela recente crise econômica e têm maior probabilidade de se mudar do que outras faixas etárias.

O crescimento no número de jovens adultos que vivem com seus pais foi o mais acentuado para os adultos mais jovens, com idades entre 18-24, de acordo com a análise.

“O número e a proporção de jovens adultos que vivem com seus pais aumentaram em todos os principais grupos raciais e étnicos, homens e mulheres, e residentes metropolitanos e rurais, bem como em todas as quatro principais regiões do censo”, disseram os analistas.

Uma mudança notável, de acordo com os especialistas da Pew: quando se trata da proporção de jovens adultos que vivem com os pais, as diferenças raciais e étnicas parecem estar diminuindo.

“Nas últimas décadas, os jovens adultos brancos têm menos probabilidade de viver com os pais do que os asiáticos, negros e hispânicos”, diz o relatório.

“Essa lacuna diminuiu desde fevereiro, à medida que o número de jovens adultos brancos vivendo com suas mães e / ou pais cresceu mais do que para outros grupos raciais e étnicos.”

Cheryl Young, economista sênior da Zillow, diz que o aumento de jovens voltando para casa começou a impactar o mercado de aluguel.

“Essencialmente, vimos cerca de um pouco mais de 3 milhões de pessoas se mudando para casa … com seus pais ou avós, de um ano atrás. Isso é cerca de 9 por cento”, diz ela.

“Uma grande parte da população que mudou de casa são jovens, Gen Z, 18-25 anos de idade, e até mesmo alguns millennials também”, acrescenta Young.

“Gen Z em particular, eu diria que 75% desse grupo tende a ser locatários. Com muitos jovens não alugando e não se mudando para as cidades quando normalmente fariam, cria-se muito estoque no mercado.”

Deixe seu comentário!